segunda-feira, setembro 25, 2006

O AMIGO

O Amigo que eu encontrei
Me surpreendeu.
Quando todos me deixaram
Ele me acolheuE sarou minhas feridas;
Das algemas me livrou.
Lhe falei do meu dilema
E Ele me escutou.
Lhe falei do meu passado
E me perdoou.
Isso teve um alto preço
Que Ele já pagou.
Me mostrou as mãos feridas
Por amor de muitas vidas
E uma dessas muitas vidas era eu
Quem neste mundo
Amor tão grande pode ter
De entregar a própria vida sem temer?
Quem já sentiu a dor de ser Cravado em uma cruz
Pagando pelos erros que não cometeu
E olhar nos olhos de quem tanto mal lhe fez
E, sem ressentimento, oferecer perdão?
Quem pode ser melhor amigo
Que o Senhor, que pelo servo
A própria vida renunciou?
Quem pode ser melhor amigo
Que o Senhor, que pelo servo
A própria vida renunciou?
(Sérgio Lopes)
Gostaria de compartilhar essa música que para alguns já é bem conhecida, mas para outros não.
Creio, particularmente, que, quando Deus deu a inspiração ao autor, ele devia estar passando por momentos de intensa busca e compreensão de quem era Deus em sua vida.Ela fala, de uma maneira bem simples, o que todos nós desejamos no fundo da alma.
A alma do homem foi criada para ser totalmente suprida por Deus, mas, muitas vezes, procuramos o nosso suprimento em nossos semelhantes em primeiro lugar, para, só depois, nos chegarmos a Deus. A fragilidade humana está sempre em busca daquilo que está disponível. É muito mais fácil abrir o coração para um amigo de carne e sangue do que desabafar aos pés do Senhor. O Senhor Jesus não se importa que desabafemos os nossos sentimentos com os outros; ao contrário, as Escrituras nos mostram que Deus se agrada quando vivemos em união. Ela nos orienta a levar as cargas uns dos outros, a nos exortarmos mutuamente, etc., mas Ele se importa quando isso toma a primazia em nossa vida: falamos aos homens e, só depois, a Deus. Infelizmente isso é uma prática muito comum em nossa vida.
A música fala de "O Amigo que encontrei". Jesus diz, em Lucas 11:9, que quem busca acha. Em Jeremias 29:13 Deus ensina: "Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração".
Amados, isso é maravilhoso. Deus quer ser achado. Ele quer ser buscado, Ele quer ser conquistado, não somente como Deus, como Pai, como Senhor ou como alguém em último lugar por falta de companhia de outros, mas Ele quer ser aquele que, como Amigo presente, nos ouvirá e enxugará as nossas lágrimas, mesmo que, para o mundo, sejam tolas e fúteis.
Jesus é nosso amigo fiel e verdadeiro que está sempre conosco. A Ele podemos abrir o nosso coração sem nos preocuparmos em ser julgados, ou, o pior de tudo, de ele jogar os nossos pecados e falhas ao nossa rosto.
Cada ser humano é uma criação única de Deus. Eu, você e todos os que conhecemos e desconhecemos também são exclusivos diante dEle. Quando falamos Pai, seja através de lágrimas, cânticos ou simplesmente de um desabafo, Ele se inclina e, provavelmente, mande todo o universo se calar para nos ouvir.
Amados, o Espírito Santo nos exorta a vigiar e não a desconfiar. Só Deus conhece o coração do homem, tanto o nosso como o dos outros também. Vigilância é mandamento! Devemos vigiar com quem abrimos o nosso coração, para, depois, não chorarmos mais do que antes. Devemos fazer de Cristo o nosso "ombro e ouvido" amigos, independentemente do que estejamos vivendo, com bênçãos ou sem bênçãos, sozinhos ou cercados de amigos, vencendo ou passando por inúmeras tribulações. Jesus é Fiel e Verdadeiro. Ele mesmo disse: "E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século" (Mateus 28:20b).
O próprio Deus se tornou carne, sofreu e padeceu por nós, sem sermos merecedores. Ele nos amou primeiro, para que pudéssemos amá-Lo e nos amarmos. Devemos amar a Deus de todo o nosso coração e nosso entendimento, e ao próximo como a nós mesmo, e não ao próximo e depois a Deus.
Deus abençoe a todos
Em Cristo, com amor
Vera Lucia